segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Vereador que tinha cargo de presidente da câmara aprovado por colegas do G5 corre o risco de perder o dito cargo e ainda é ameaçado.

O vereador Evandro Cardoso, abriu as portas de sua casa para uma entrevista exclusiva sobre as suas experiências durante esses dois anos de mandato. Segundo informações, a vida íntima do vereador foi um pouco afetada no sentido de privacidade, pois todos os dias e nas hora mais inoportunas, sempre aparece um cidadão taperense em sua residência precisando de uma ajudinha, de uma palavra. A sua esposa conhecida popularmente como Gal, se acostumou com a correria de seu esposo, devido a experiência do seu pai, o ex-vereador Damásio Ricardo que foi eleito vereador por 5 vezes consecutivas pelo município de Tapera que inclusive perdeu a reeleição para os seus genros; MarquinhosX e Evandro Cardoso.
O início da carreira politica do vereador Evandro, foi cheia de surpresas e expectativas, pois o mesmo era integrante do G5( O grupo dos cinco vereadores), os quais faziam partes: Luiz José, Ana Selma, MarquinhosX e Cicinha Nobre. Segundo informações, o G5 não existe mais devido a ambição politica dos demais integrantes, apenas o atual presidente da câmara, o vereador Luiz José e o próprio Evandro marcham juntos em busca de defender os seus ideais mesmo sendo minoria naquela casa. Ainda segundo informações, o vereador Evandro Cardoso assumiria a presidência da câmara municipal no dia 1º de Janeiro de 2011 como foi acordado e votado em Janeiro de 2008 pelo então recém formado G5. Mas, os outros vereadores que faziam parte do G5 se juntaram com os demais vereadores da base do governo do prefeito Jarbas Ricardo, sendo assim, permanecendo maioria na câmara de São José da Tapera . Os sete vereadores que podemos chama-los de NEW G7, se uniram com um novo objetivo, votar contra a candidatura do vereador Evandro Cardoso a presidência da Câmara Municipal.





ENTREVISTA:




Como foi para você ser eleito vereador e ver a realidade da política? Faça um balanço geral desses dois anos de mandato.





R_ Quando a gente se envolve na vida pública, a gente começa a ver algumas mudanças na nossa vida, no meio da nossa família, porque você passa a ser de fato um servidor do povo e você tem que abrir mão de algumas coisas. Se a gente não abrir mão, você não serve para estar nesse meio. Essa questão da vida publica para mim foi uma experiência que aconteceu de certa forma como uma surpresa, porque eu não esperava que iria me envolver nesse meio. Mas, começou quando eu fui convidado para ser secretario da Assistência Social no governo do ex-prefeito José Antônio, apartir dalí, eu comecei a ter uma identificação maior com as áreas publica e coloquei o meu nome para ser avaliado pela sociedade de São José da Tapera, fui bem aceito sendo o vereador mais votado do município e comecei a ser um legislador. Estamos agora no segundo ano do mandato e com algumas experiências boas e outras desagradáveis. Em relação a vida pessoal, a gente perde um pouco da privacidade porque a gente tem que abrir as portas da nossa casa e da nossa vida a hora que o cidadão precisar. Você não só é vereador quando está na câmara, de 8:00 ás 17:00hs, você é vereador 24hs. Quando tiver alguém que necessita da sua pessoa, independentemente da hora, você tem sempre que se prontificar a atender e ver qual é a necessidade, porque as emergências não marcam um horário. A gente tem que ter essa ciência, essa certeza de que vai atender essas pessoas quando houver a necessidade, pois se você não tiver essa tranquilidade de ter esse atendimento em sua casa, na hora que o povo precisar, então você não serve para fazer parte desse meio. Quando a gente começar a se estressar com a nossa casa cheia, com a nossa vida sempre envolvida com as pessoas e quando a gente começar a se sentir mal com isso, é a hora de dizer: não dar mais e se afastar da vida pública. Algumas pessoas aqui que fazem parte da administração atual, não se colocam dessa forma, vivem de portas fechadas, vivem em outros municípios fugindo das pessoas do próprio município, fugindo na verdade dos problemas, então eles se colocam em outras cidades com suas casas com grandes muros e portões para fugir exatamente desse contato. Infelizmente, as pessoas ainda continuam novamente fazendo com que essas pessoas permaneçam na política. Apartir de quando as pessoas se posicionam dessa forma, estão demonstrando que não servem mais para a vida publica. Essas são algumas das minha decepções, isso acontece seja na forma da dificuldade que a sociedade tem de localizar esses políticos, quanto na dificuldade que a gente como político tem de convencer a trazer idéias novas, a amar mais essa terra. As vezes ,existem coisas simples que o município já tem estrutura básica, mas que precisa ter um funcionamento melhor, uma qualidade de atendimento melhor em alguns setores, um melhor funcionamento em alguns sentidos. Isso não acontece porque não existe sensibilidade, não existe aquela coisa de eu quero o melhor porque eu resido aqui, estou aqui e pretendo continuar vivendo aqui isso não existem em alguns políticos, então a gente tem uma barreira em relação a isso porque como eles não pretendem, não vivem no dia-a-dia daqui e não pretende com certeza continuarem por aqui nessa vida desgastante, então eles não tem a preocupação de ter isso aqui cada vez melhor, porque se São José da Tapera estiver melhor, estará para mim, meus filhos e para o povo que vão conviver aqui também. Quando a gente cita que o município está perdendo um área enorme, está perdendo população, números de residências, isso vai refletir nos repasses do FPM, nos repasses dos recursos do município. Quando questionados, as pessoas dizem: "Não, não dou um passo porque eu não vou arrumar briga com o prefeito de não sei onde!." Na verdade, essas pessoas não tem tanto carinho pela nossa terra, mas quando chega na hora de pedir o voto essa gente diz: " Não, eu amo essa terra! Meu povo, me coloque no poder que eu vou fazer! Isso aqui vai melhorar! Agora é a vez do pobre." Tapera passa por um momento muito bom em relação a politica, mas eu estou começando a me assustar. Tapera tem políticos todos jovens, então aquele velho discurso de dizer que os politicos são antigos, que eles não se modernizaram, não estudam, não estão preocupados em estudar a politica para faze-la cada dia melhor, eles não poderão dizer mais porque somos políticos jovem numa faixa etária de no máximo 40 anos abaixo, inclusive o prefeito, acredito que ele não tem 40 anos, se tiver. Ele é até atleta ainda, vive jogando bola, então a gente não pode aceitar de forma alguma que esses políticos errem. A gente aceitou que os políticos do passado errassem, os nossos pais aceitaram por falta de conhecimento talvez, mas nós agora, a sociedade de hoje, não pode aceitar mais. Eu me recordo, que pouco tempo nós fomos noticias em todo o mundo com relação ao IDH(Indice de desenvolvimento humano) éramos os piores do mundo, não só do Brasil, porque quando a gente se colocou como o pior do Brasil a gente ganhou destaques na mída internacional, porque também a gente se colocou como o pior dos continentes. Sermos piores do que alguns paises da Africa é um absurdo! Na verdade, muitas pessoas utilizaram daquilo para tirarem benefícios próprios, infelizmente é isso. Tapera costuma ser destaques na mídia só com coisas ruins. Eu me recordo até de um visita que entraram em contato comigo, como vereador, me dizendo que precisavam de minha presença, porque o candidato a presidência José Serra estaria aqui na cidade e iria receber o titulo de cidadão honorário que foi aprovado pela câmara, muito justo. Mas, eu achei que ele vinha fazer uma visita, para dizer que Tapera foi uma cidade pobre, mais, vai ser uma cidade desenvolvida e contar as coisas boas para Tapera. Mas, o que aconteceu? Esse homem veio a Tapera de helicóptero, chegaram carros luxuosos, antes da chegada dele, posou em uma das áreas mais pobres da zona urbana do município de Tapera e veio gravar a miséria de São José da Tapera, mais uma vez. Foram eles quem colocaram a gente na mídia como os piores dos municípios e eles vieram em busca do pior que nós tínhamos para colocar novamente na mídia. Eu confesso que, se eu estivesse um contato daquele comigo, para ele vir para a minha cidade para gravar a miséria do nosso povo, eu mandava ele ir para o inferno, mandava ele gravar na casa da mãe dele e não aqui! São essas coisas que as vezes revolta a gente. Essas pessoas, não estão aqui preocupadas em tirar o melhor que Tapera tem, ou fazer o melhor por Tapera, mas sim, em buscar das desgraças de Tapera e sobreviver daquilo, sobreviver sempre do coitadinho."





Nós sabemos que de certa forma aprovar os projetos na câmara entre os colegas vereadores é muito mais fácil do que o mesmo ser executado pelo gestor. Você tem algum projeto grandioso que você sonhou em realizar ou prometeu a sociedade taperense em época de campanha que ainda não realizou?




R_ "As idéias são muitas!Lutamos com a ajuda do próprio Ronaldo do INSS, que tem uma influencia muito grande no PT e com o deputado federal Carlos Alberto Canuto, pôr mais energia aqui para a zona rural, através do programa luz para todos, do governo federal, que existem muitos recursos, falta apenas uma mobilização no sentido de trazer para todo o município. Nós conseguimos colocar de minha parte uns R$ 2 milhões de reais em investimentos de energia elétrica no município, mas quando algumas pessoas aqui do município perceberam que a gente estava com um acesso muito grande, trazendo energia até para um casinha em cima da serra, incomodou alguns poderosos e eles foram até o setor de engenharia e conseguiram inclusive, até afastar o engenheiro que era para ser nosso e coloca-lo para a Paraíba para inviabializar as nossas ações aqui. Nós conseguimos um contato com outro engenheiro, mas o poder é uma coisa fora do sério. Alguns vereadores juntos com esse poderoso do município acabaram ameaçando esse outro engenheiro e proibindo dele ter qualquer contato comigo. Quando a gente estava no controle dessa situação, visitando todo o município, sem perguntar em quem votava, sem perguntar a quem pertencia, todos estavam recebendo energia, agora não estão mais, parou todo o processo. Na verdade, a intensão deles é de não deixar fazer. Se não for pelas mãos deles que ninguem faça. Eu tinha uma vontade de conhecer Brasilia e o prefeito Jarbas nos levou, isso eu não posso negar. Conheci o deputado federal Carlos Alberto Canuto, juntamente com o Dr Luiz José (presidente da câmara dos vereadores) e pedimos para ele enviar uma emenda do ministério dos esportes, para trazer recursos para Tapera, mesmo a gente não tendo compromisso com ele, e ele se prontificou. Essa emenda chegou aos cofres do municipio no dia 10 de junho, no valor de R$ 600 mil reais, que foi trazido para a construção de três quadras poli-esportivas, que vão ser contemplados os sítios de Antas, Macena e Povoado Torrões. Já era para essas obras terem sido licitadas, que fica a cargo da prefeitura. Infelizmente a gente não tem maiores informações, estamos todos aqui aguardando anciosos a concretização. Nós percebemos que, essa semana, São José da Tapera tinha perdido uma emenda que a gente chama de emenda guarda-chuva, que tinha sido destinado aqui para o município de R$ 1 milhão de reais. Seria um acordo que existe aí, não sei como é tratar desse assunto, porque eu não participei desse acordo. Mas esse acordo não teria sido comprido, e essa emenda teria sido retirado do município. Eu entrei em contato e agendamos um almoço aqui em Tapera com o deputado federal Chamariz e tivemos um almoço de negócio. Nesse almoço, pedimos ao deputado para que ele devolvesse essa emenda para o município. Se ele devolvesse, eu e o Drº Luiz José a gente assumiria compromisso de ajuda-lo no que pudéssemos. Na quarta-feira antes das eleições, ele mandou essa emenda aí, que era para calçamentos e imediatamente nós pedimos para alguns amigos ajuda-lo. Ele tirou quase 600 votos aqui. O que a gente espera é que, através dessa emenda o prefeito Jarbas Ricardo possa calçar essas ruas como as da Cohab, que existem buracos que cabem uma carreta dentro e ninguém faz nada! Essas rua do bairro Dez, só tem lama. Já aqui perto da matança é um absurdo! Na Cohab Velha Pedro Ricardo, outro absurdo! Se entrar lá, tem que ser de trator, então eu espero que essa emenda viabilize alguns calçamentos que possam dar uma melhorada na cara do município. São essas as nossas conquistas. Mas, a gente tem o sonho, um sonho que foi juntamente com o Valdir (diretor da rádio Liberdade FM) em fazer uma área de lazer lá na região do açude DNOC, que foi aprovado pela câmara. Tivemos reuniões com o prefeito, mas não houve interesses. Tem a questão da Lagoa Caiçara, que não é só um sonho de Evandro como vereador, mais como de todo o povo de São José da Tapera e de outros politicos daqui. A gente sabe que esse projeto é um projeto muito caro, mas a gente espera um dia conquistar uma emenda para a gente poder viabilizar aquilo alí. Em conversa com o deputado eleito Ronaldo do INSS, ele me falou que vai se empenhar também para que de repente a gente consiga fazer algo pela aquela Lagoa que é belíssima. Nós aprovamos na câmara, questão de algumas áreas verdes para o municipio, é que a gente trata de tantos problemas que esquecemos dessa questão ambiental. A gente tem que ter essa preocupação, porque existem as exigências das organizações mundiais, que recomenda no mínimo, acho que uns 7 á 8mt de áreas verdes por habitantes, e nossa região aqui está tendo um processo de desertificação. A gente também vemos essas questões de praças, de sensibilizar a sociedade e principalmente o prefeito, no sentido de ter algumas reservas aqui na cidade. A gente queria que ele desapropriasse aquele terreno alí, ao lado direito do conjunto Pedro Ricardo da Cohab Velha, que inclusive foi aprovado, que ele desapropriasse para constuir uma área verde, com ciclovia e com área para o pedestre fazer caminhada. Temos também o terreno de Giva poeta que fica atrás do colégio Wellington Pinto Fontes, que é uma área enorme e dá acesso ao açudo DNOC. A gente queria que também, no sentido de não haver casa alí porque quanto mais casas construidas vão gerando mais esgotos e tudo vai direto para o açude, então essas duas áreas foram aprovadas e não houve nenhum mobilização nesse sentido por parte do poder executivo. Parece brincadeira, mas só pelas nossas mãos, se a gente for analizar, são R$ 4 milhões de investimentos aqui para o municipio de São José da Tapera. A gente não tem essa questão de ter compromisso em cima de votos, de comprar votos de ninguém, então a gente esperava que eles fizessem isso, que cada um fizesse a sua parte nesse sentido, porque talvez a gente tornasse Tapera um pouquinho melhor, com a realização dessas obras.





Quando vocês foram eleitos vereadores, fizeram o famoso G5, criando uma expectativa por parte da sociedade taperense em ter um grupo de oposição até o final do mandato. Vocês eram unidos a ponto de fazerem a eleição para a presidencia da câmara em uma única vez, elegendo o vereador Luiz José como presidente no primeiro bienio e você no segundo. Mas, misteriosamente o G5 fracassou e não durou 1 ano, o que houve?



R_Estar no G5 foi um fato histórico na historia politica de São José da Tapera, porque uma equipe de oposição ao governo, conseguir fazer a presidência onde sempre houve dinheiro para se eleger um presidente da câmara. Sempre foram eleitos os presidentes indicados pelos prefeitos, e dessa vez não aconteceu dessa forma. Nós conseguimos nos unir, com o objetivo de fazermos essa presidência e fizemos de fato. Fizemos a primeira eleição, e como existia uma lei aprovada anteriormente pelos nobres vereadores que dava direito da antecipação da eleição, sendo uma uma lei um pouco imoral, mais é legal, porém, é regimental, existe lá no regimento e nós aproveitamos essa lei e de imediato fizemos a primeira e a segunda eleição. No primeiro bienio, Drº Luiz José(2009 e 2010). No segundo bienio, Evandro Cardoso (2011 e 2012). Esse grupo do G5 conquistou muitas coisas. Nós fizemos com que houvesse diálogo com o prefeito, com que os vereadores começassem a serem ouvidos. Na verdade, nós resgatamos a vida de um poder que não existia em São José da Tapera. Na cidade, só existia o excutivo e o judiciário. Foi através do G5 que surgiu o lesgislativo. O legislativo começou a ter respeito, porque o vereador de Tapera não tinha respeito. Em São José da Tapera o vereador era para fazer o que o prefeito mandava, sempre foi assim, um fato histórico que pode ser comprovado, não é apenas uma crítica minha porque toda a sociedade sabe que sempre foi assim. Graças a essa união do G5, que esse poder legislativo começou a ter respaldo tanto dos outros poderes quanto da sociedade. As pessoas começaram a se preocupar, a ouvir o vereador. Começaram a questionar o papel do vereador, que não existia esse questionamento anteriormente.Começaram a ir para a câmara ouvir o que estava acontecendo. Nós tivemos muitas conquistas, e a preocupação de nunca levar nada a público, antes mesmo de falarmos com o prefeito. Com isso, algumas pessoas me perguntavam se eu de fato era oposição e eu respondia que nunca era oposição a nada e sim era oposição a tudo. Que se estivesse alguma coisa errado, independetemente se estivesse dentro ou fora do G5, eu era contra. Eu não sou oposição ao prefeito Jarbas Ricardo, mas, com os atos que eu não concordar, que ele estiver fazendo, eu sou oposição. Mas o que ele estiver fazendo de bom, eu sou situação, e sempre será assim, não será diferente comigo. O G5 começou a enfraquecer porque o poder pesa muito. É muito complicado você ser politico, ser um vereador sem ter a parceria da prefeitura. As politicas publicas, aqui não acontece como deveriam acontecer, então as suas bases eleitorais elas tem problemas de saúde, educação, falta de água e todos os problemas que a gente aqui conhece. Quando essas pessoas procuram o poder público para saciar essas necessidades que o poder público não cobrem, a sociedade vão procurar os seus vereadores e a gente vai e não consegue também. Se a gente vai na farmácia da prefeitura, não tem remédios, se precisar de um carro pipa, não tem também, se quiser fazer um socorro de uma pessoa, é a maior burocracia e se precisar de um carro não tem, então existem algumas coisas que tem para aqueles que estão alienados ao poder, para aqueles que não são alienados, não existe. Existe uma dificuldade grande. Se você precisar de um exame e não fizer parte desse poder, desse sitema, inclusive Gracinha, eu tenho até uma pasta com ofícios da secretária de saúde, Jária Ricardo, com os documentos alí que posso até te provar onde a dois meses eu venho testando, esperando por um exame, onde os outros conquistam. Só fazem isso porque são pessoas ligadas a mim, por isso, que esses exames não foram feitos. O sálario do vereador é rasoável, mas quando você tem que tirar de onde você não tem, para poder atender as necessidades do povo, para podermos atender as carências do povo, isso faz com que algumas pessoas não suportem essa carga e se tornem alienados e acabam fugindo do papel, acabam perdendo aqueles principios, todas as espectativas que foram criadas anteriormente. Entendo que, por uma micharia, ou não sei exatamente o porque, eles vão vestir outras camisas. Levantam outras bandeiras e perdem o sentido de ser politicos. Eu acho que você não é obrigado a ser contra a nada, mas também não é obrigado a se vender a ninguem, ou baixar a cabeça para ninguem. Eu estou pagando um preço muito alto hoje em São José da Tapera, por esse meu posicionamento. A minha posição juntamente com a do DrºLuiz José são oposições aplicadas. Eu tenho uma eleição feita, registrada em ata. Tenho documentos que provam a minha eleição com cinco votos favoráveis em todo o processo legal. E agora me convidam para renunciar essa eleição porque disseram que era melhor para mim. Disseram que tem sete vereadores contra mim. " Se você não abrir mão será pior para você. Venha e diga como é que a gente faz aqui o acordo. Venha aqui para a gente conversar." Foi o que eles me falaram, mas eu não tenho interesse nisso. As pessoas tratam a gente como se a gente fosse mercadorias, eu não sou mercadoria de ninguem! Eu não fui eleito por 530 pessoas para receber ordem de um. Eu não tenho patrão. Quem pensar que Evandro tem patrão está equivocado. A minha forma de ser é essa. Eu não sou contra aquilo que for certo, aquilo que for errado eu vou ser contra, apesar de ter sempre a preocupação de nunca levar nada a público antes de ter conversado em off anteriormente. Se eles consegui uma solução, uma melhoria sem se tornar público, melhor! Eu não sou um radical, sou um cara moderado, um politico em plena aprendizagem que comete erros por falta apenas de experiências. Estou sempre buscando aprender. Mas, eu tenho uma coisa em minha vida que é nunca baixar a cabeça para patrão de ninguém que tenha dinheiro ou deixe de ter. Eu não estou preocupado até quando eu vou me sustentar contra os sete vereadores como muitos falam. O que eles tem contra mim, que vão me proibir ou inibir essa minha força, de levar a minha candidatura a frente? Eu só perco essa eleição se for na justiça. Mas, chegam a dizer esses poderosos daqui que mandam até na justiça. Só que eu quero que eles provem que mandam. Eles dizem que é para eu abrir mão, porque dizem que eu vou perder, porque eles mandam na justiça. Quer dizer que até na justiça estão mandando? Eu preciso me decepcionar 100% para eu poder desistir da política, porque se eu não puder contar com o Ministério Publico, com o Poder Judiciário e com a sociedade, aí sim, eu vou abrir mão do meu mandato, vou renunciar sem esperar termina-lo. Agora, se alguns desses setores estiver do lado do vereador Evandro, eu vou levar isso a frente e vou ser presidente da câmara dos vereadores de São José da Tapera, e vou passar os dois anos de meu mandato de cabeça erguida. Se tiver de cair, vou cair de cabeça erquida mas, não me renderei aos caprichos dos poderosos de Tapera. Eu sinceramente não entendo, do fundo do meu coração, como algumas pessoas aqui em Tapera tem tanta coisa contra mim, se eu nunca os fiz mal. Se eu nunca em tribuna levantei a voz para acusa-los de alguma coisa, talves, eu devesse ter feito isso, Mas não fiz, e estou pagando um preço muito alto, apenas por não querer ser alienado, por não querer ser dominado, por não querer cumprir ordem de patrão de ninguem. Não sou homem para cumprir ordem de ninguem, porque eu não tenho patrão, sou dono do meu nariz. A politica para mim não é meio de vida, eu arrumo a minha feira. Tenho o meu pedacinho de terra, tenho os meus bichos e sou funcionário da prefeitura e do estado. Se precisar vender cocada na feira, eu vendo e arrumo a minha feira. Mas, não baixo a minha cabeça para ninguem. A mão dos poderosos não me assusta. Eu não compactuo com isso e vou assumir a presidencia. No dia 1 de janeiro, o presidente da câmara municipal de são José da Tapera chama-se Evandro Cardoso, porque tive respaldo dos 5 vereadores. Se eles se arrependeram, problema deles. Hoje eu tenho o apoio do meu amigo, meu irmão de fé, Drº Luiz José Malta Gaia Ferreria e vou junto com ele assumir essa presidência. Se é do gosto dos poderosos ou não, eu não estou preocupado, não me interessa, mas vou assumi-la, e serei o presidente por dois anos! Quero deixar aqui registrado que eu, Evandro Cardoso, não tenho medo de ninguem. Se tem 7 querendo me derrubar, prove! Se tiver alguma coisa ilegal, inrregular, prove! Agora se não tiver, vão ter que me aguentar lá como presidente.
Foto/ (-:Gracinha de souza:-)
As pessoas sempre tratam o prefeito Jarbas Ricardo como um grande articulador, um líder absoluto, que sempre consegue o que quer politicamente falando. Como você analizaria esses dois anos de governo do prefeito Jarbas Ricardo ?

R_Ele tem muitos pontos positivos como também tem negativos. Ele tem uma coisa muito interessante que eu acho bonito. Ele chega naquelas comunidades e vê aquelas caisa de taipas das pessoas mais pobres e constroe outras de tijolos, com recursos próprios, nisso aí eu tiro o chapeu. Essa é uma atitude bacana, espero que ele continue fazendo isso. Ele está fazendo reformas nas escolas, reformas modestas, mas tá fazendo. Ele vem tendo um diálogo com as categorias. Se estar saindo resultado ou não, eu não posso culpa-lo, porque as categorias que estão aceitando a forma com que ele vem trabalhando, então eu não posso dizer que ele não é bom nisso aí, que ele não é positivo. Ele está pagando os funcinários em dia, muito bom. Mas, por outro lado ele contratou de forma absurda. Fez politica de contratação, e comprometeu o orçamento do municipio. Quando se contrata demais, sem necessidade, você compromete as politicas publicas, porque alguma coisa que poderiam ser feitas, não são. Outro ponto: Tapera ainda continua com o transporte escolar que é outro absurdo. Foi feito um acordo com o Ministerio Publico, os motoristas e com o município. Ficou afirmado que, apartir de janeiro, não houvesse mais carros abertos transportando estudantes. Só que eu estou sabendo, que vai continuar do mesmo jeito, com os mesmo veiculos, e eu pretendo entrar com uma ação para proibir. Existem transportes demais para alunos de menos. Mas, falam que o recurso do governo federal não dar para pagar as linhas e eles ainda tem que colocar dinheiro. Só que eles esquecem que o recurso do governo federal, é um complemento, não é um todo. O municipio tem que entrar com uma parte. Aí, eu critico, porque veio alguns ônibus do projeto do governo federal Caminho da escola ,e esses ônibus eram para estar na zona rural, transportando esses alunos, os nossos alunos daquela localidade para a escola. Mas, eles estão levando os filhos das pessoas que tem condições finaceiras da cidade, para outros municipios, ao contrario do que deve ser feito, porque esses veiculos são destinados para zona rural e não para a zona urbana. Eu vou cobrar isso, eu quero essa mudança e o prefeito vai ter que mudar isso. Tem uma van na secretaria de educação que acabou, está quase acabada. Mas, nunca carregou um aluno do filho do pobre. Eles levam os filhos de fulano para onde eles determinarem, para onde eles quizerem, mas o filho de pobre, nunca entrou alí para irem para a escola. Eles vem de pau-de-arara, ariscando suas próprias vidas, caindo do carro como já aconteceu em Quixabeira. Esses dois ônibus que estão circulando por aí, são do projeto caminho da escola e ainda está para chegar mais. Só que eles tem que ir para a zona rural. Mas, eles não vão porque vai atrapalha-lo politicamente, porque se eles forem para o seu destino, tem que tirar algumas linhas, então eles preferem deixar os alunos andarem em cima dos caminhões, com as criancinha caindo e morrendo do que colocar os ônibus confortaveis, com cinto de segurança para que os alunos da zona rural venham para priorizar os da cidade. Mas, se a gente falar a gente tá errado. Inclusive, o imposto do combustivel ,que eu quero citar, é arrecadado por todos os municípios. Se pelo menos eles ultilizassem esse recursos para arrumando as estradas, seria mais positivo. Só que eles nem abastecem no proprio municipio, abstecem na cidade de Olho d´água das Flores. A arrecadação fica lá. Deveria ser abastecido aqui para a arrecadação ficar no município, já que aqui existem dois postos de combustiveis. Não se faz nada, não se investem em estradas. Tapera na agricultura familiar, não incentiva nenhum quilo de feijão. Não se plantar um quilo de feijão para ninguem. Tá lá, na criação da lei, desse municipio ,dizendo que essa terra era formada de 80% de agricultores e que nessas terras não existiam latifundiários. Todo pobre, por mais pobre que seja, tem um pedacinho de terra. E cadê as maquinas agrícolas? Se o municipio pode gastar R$ 100 mil reais em uma banda, por que não pode contratar dez tratores a R$ 1 mil ou R$ 10 mil reais e arar a terra desse povo? Por que não voltar o incentivo do plantio de algodão? se muitas familias viviam dessa renda? Esse mesmo terreno que é preparado para o plantio de milho e feijão já foram ultilizados para o plantio do algodão. Será que é com medo das pragas? Será que a gente não tem como extermina-las? Por que não resgatar o plantio da mandioca? O povo não sabe mais a origem da farinha, não sabem mais nem o que é um beijú. As pessoas estão "matando" aquilo que de melhor o nosso povo tem. As nossas terras são férteis. Mas, as nossas politicas são métodos abortivos que fazem com que nossa terra expulsem os seus filhos para o Sul do país para cortarem canas e trabalharem nas lavouras. Muitos deles não tem conhecimento e voltam envelopados em um caixão quando morrem por lá, então é a falta de amor a nossa terra, ao nosso povo que essa administração não tem, em todos os sentidos. Daqui a pouco Tapera só vai ficar com a sede da prefeitura, o resto vai pertencer a Senador, Olho d´água e Pão de Açucar porque ninguem faz nada. Tudo é um caos, a saudé é um caos, a educação é um caos, a segurança é um caos, tudo. A cidade tem um plano diretor que ninguem sabe aonde anda. Aqui se constrói sem licença, colocam materiais no meio das ruas, não tem um setor responsavel por isso, as pessoas colocam comércios no meio das calçadas ocupando linha do pedestre. Se andam na contra mão, levantam pneus no meio das ruas, andam em velocidades abusivas, mesmos as ruas sinalizadas, então ha um ingerência em muitos setores. Não existem recursos humanos, o suficiente para que haja um andamento da coisa, mas ha uma falta de patrão que nunca vi igual. As ruas estão começando a ficar tortas porque estão construindo de todo jeito. Na gestão anterior, do prefeito José Antônio Cavalcante, as ruas da Cohab, eram uma largura bacana, então para eles esconomizarem ,fizeram o calçamento todo estreito, uma coisa absurda. Eu passei lá essa semana e vi que aquelas pessoas que ficaram com suas calçadas enormes, estão começando a construir onde pertencia a rua, então é o municipio que causa os próprios problemas. Se aquele calçamento começasse a ser feito da forma de como começou, não estaria acontecendo aquilo. Se você for de carro na rua principal da escola do conjunto Pedro Ricardo, você tem que voltar de ré, porque você não consegui fazer a volta, devido o calçamento ser estreito. A rua Divaldo Suruagy, depois do posto Brasília, foi estreitada para se gastar pouco em questão de calçamento, mesmo assim, foi feito uma parte e nunca fizeram a outra. São obras inacabadas, parece que calçaram as partes de alguns interesses e o restante que não interessava deixaram para lá.Tem a antiga Travessa José de Oliveira Fontes, que a sociedade chama de cobra de duas cabeça, porque calçaram em uma ponta e na outra não, no meio, não tem calçamento, então Tapera vem crescendo desordenadamente. Os conselheiros já foram mais atuantes, já cobraram mais, hoje em dia, eles cobram de menos, fazem reuniões de menos. Alguns são representados por gente da base do governo, e a sociedade civil organizada acabam tendo poucas representatividades, sem forças. A secretaria de saúde Drª Jária Ricardo é a presidente do conselho municipal de saúde e ela não reside no municipio, só vem aqui de vez em quando, aí fica dificil.
Qual a nota que você daria para a administração do prefeito Jarbas Ricardo?
R_Eu acredito que, muito mais poderia ser feito tanto na gestão do prefeito José Antônio, quanto na do Jarbas Ricardo. Na questão da nota, eu vou avaliar a administração do Jarbas com o resultados do primeiro e segundo turno das eleições. O candidato a governador, Teotonio Vilela, sempre foi um politico muito bem votado aqui no municipio de Tapera. Já nessa eleição, houve a decepção no primeiro e segundo turno. Isso é um reflexo do que está acontecendo ultimamente na administração do atual prefeito. Já o José Antônio, ele foi positivo demais, em administrar o bem público, como fosse privado. José Antônio Cavalcante vai entrar para a história de São José da Tapera em alguns sentidos. Só que teve aquela questão dele ser muito fechado, valente, atendia mal ao povo, de cara feia, então esses foram os pontos negativos dele.Mas, ele fez uma administração bacana. A nota do prefeito atual é negativa! Eu não vou dar uma nota não, mais é negativa!
Nessa gestão do prefeito Jarbas Ricardo, vocês vereadores votaram favoráveis e por unanimidade no parcelamento do repasse do IAPREV como também foi feito na gestão do ex-prefeito José Antônio Cavalcante, pelos vereadores da época. Como é para você ser oposição, ter votado e ver os contracheques dos cidadãos taperenses todos os mêses sendo descontado em folha e no final não ter fundos para a sua oposentadoria?

R_ A câmara dos vereadores está tendo um papel importante e algumas coisas a gente pediu a presidência, inclusive que as seções da câmara viesse a ser feitas também em audio. Tem uma gravação no dia da aprovação desse projeto, mostrando a minha indignação em relação a isso. Eu apresentei a minha indignação e alertei ao prefeito Jarbas Ricardo, que ele não repetisse mais isso, esse pedido porque seria a ultima vez que ele seria atendido de minha parte. Eu votei favoravel a esse projeto por conta da situação, de como ele apresentou como justificativa. Em sua justificativa ele dizia que se tivesse que desembolsar todo aquele recurso, iria comprometer algumas ações do municipio, em relação a politicas publicas, então eu levei em consideração. Mas, com os meus questionamento e por conta de tudo que aconteceu no passado, também. Esse parcelamento existente são problemas que já aconteceram nas administrações anteriores e não em uma só. È um erro contínuo e eu não poderia descarregar só no Jarbas. Qual foi a minha avaliação? Na gestão dele, ele realmente repassou, os outros não repassaram. O Jarbas repassou tanto a parte patronal quanto a parte do empregado, então eu não posso tirar esse mérito dele. Houve uma parcela que não teria vindo o repasse e ele pediu de imediato que houvesse uma negociação para que não acarretasse as finanças do municipio, segundo a justificativa enviada por ele, sendo assim, eu aceitei. Mas, alertando a ele que, não mais aceitarei e que ele fizesse parte do conselho fiscal do IAPREV e que eu vou ficar atento. Existe um saldo muito positivo no IAPREV e a gente espera que as pessoas que fazem parte daquele orgão, que é independente, façam com que funcione corretamente. Eles tem que analizar quem está entrando, quem está recebendo. O IAPREV não pode servir como valvula de escape para ninguem e o que der de errado daqui para frente, eu não vou botar para o prefeito mais não, vou botar para quem faz parte de lá. Esperamos que, esse problema do IAPREV tenha sido solucionado de um vez por todas. Os mesmos que criticaram a posição da gente, foram os mesmo que fizeram parte do IAPREV o tempo inteiro. Só que eles nunca cobraram, desde quando atrasaram milhões e milhões, anos e anos. Eles fizeram partes de todos os movimentos como representates dos conselhos, dos sindicatos. Durante todo esse tempo são as mesma pessoas que, inclusive, nunca cobraram nada. Elas quando apontam um dedo para as pessoas esquecem que deixam quatro apontados para a sua própria cara.


by
(-:Gracinha de Souza:-)

7 comentários:

aleckse disse...

É triste meu caro Evandro, constatar que velhas artimanhas ainda hoje façam parte da politica taperense, quando se esperava que com a renovação de nomes que houve no quadro politico,com gente jovem que tiveram a oportunidade de estudarem esperava-se outro tipo de postura, mas o poder do dinheiro e a falta de compromisso fala mais alto, pra essas pessoas o que importa é posar na foto junto com os poderosos, ter seu carro e sua moto nova na garagem,e seus filhos estudando na capital, é como você diz se trancam atrás dos seus muros altos e pouco se importam se seus vizinhos não têm o mínimo de condição para viver, pelo contrário usam esses para continuarem se locupletando e se refastelando nas tetas do poder. Parabenizo Você e o meu amigo Luiz José pela posição assumida e cotinuem com essa coerência, acreditem nos seus princípios e não vendam suas almas ppor qualquer tostão. UM DIA OS JUSTOS VENCERÃO.
Gracinha parabéns pela matéria.

Gracinha Radialista disse...

Caro blogueiro, muito obrigada mais uma vez pela sua participação aqui em nosso blog. Quero que saibas q es bem vindo!

Devido a uma falha nossa, aproveito o espaço para pedir desculpas a vc e a todos de plantão que acompanham todas as nossas máterias em nosso blog. Trata-se de alguns erros ortográficos e de digitação, entretanto, os mesmos já foram corrigidos hj pela manhã. Na verdade, esse post foi publicado automaticamente, antes mesmo de dar tempo de corrigi-los.



Atenciosamente


(-:Gracinha de Souza:-)

EVANDRO CARDOSO disse...

Gracinha, quero pedir correção em relação a citação feita por você ao Damasio. ("que inclusive perdeu a reeleição para os seus genros; MarquinhosX e Evandro Cardoso.")pois tenho uma relação de muito respeito com o meu sogro Damasio e quero evitar costragimentos...
Grato
Vereador Evandro Cardoso

Gracinha Radialista disse...

Caro vereador Evandro, quero deixar claro que a introdução pertence a um ponto de vista meu, e que faz parte de suas palavras apartir do momento que COMEÇA a ENTREVISTA.


Atenciosamente


(-:Gracinha de Souza:-)

Professor Renildo Gomes disse...

Parabéns ao Evandro e a você Gracinha pela entrevista. Sugiro que entreviste outros vereadores para conhecermos os pontos de vista deles.

Gracinha Radialista disse...

Profº Renildo, pode ter certeza que em breve teremos outras entrevistas com os demais vereadores daqui de são José da Tapera. Obrigada pela participação em nosso blog.


Atenciosamente


(-:Gracinha de Souza:-)

Gracinha Radialista disse...

RETROSPECTIVA:

Sem dúvida, essa entrevista com o vereador Evandro Cardoso foi uma das principais ENTREVISTAS de 2010,por isso, atendendo a pedidos de internaltas que me enviaram e-mail pedindo para recordar, resolvemos posta-la mais uma vez no topo do blog da (-:Gracinha:-)


Atenciosamente,


(-:Gracinha de Souza:-)